Radar

Toyota anuncia produção de carros elétricos no Brasil

   A Toyota Motor se comprometeu a oferecer mais de 10 carros puramente elétricos no início de 2020. A fabricante japonesa corre para alcançar as rivais diante da mudança global em direção aos automóveis movidos a bateria.

   A marca Toyota, voltada ao mercado de massa, e a Lexus, ao mercado de luxo, também oferecerão opções eletrificadas para toda a linha até cerca de 2025, em parte aumentando o número de modelos híbridos dedicados, movidos a bateria ou a células de combustível, e também adicionando opções alternativas de conjuntos de motor e transmissão aos veículos existentes, anunciou a segunda maior fabricante de automóveis do mundo na segunda-feira.

   Até 2030, a Toyota pretende vender 5,5 milhões de veículos eletrificados — incluindo 1 milhão de carros movidos totalmente a bateria ou a hidrogênio –, o que representa metade das vendas projetadas.

   As baterias surgiram como tecnologia dominante na corrida para cumprir as regras ambientais cada vez mais rigorosas em todo o mundo, enquanto a Toyota vinha até agora se concentrando apenas em configurações de células de combustível baseadas em hidrogênio em sua estratégia para os carros de zero emissão.

   A China, que é o maior mercado automotivo do mundo, pode acabar com as vendas de veículos movidos a combustíveis fósseis até 2040, disse um executivo de uma fabricante local de automóveis de nova energia na semana passada. A Califórnia também estuda acabar com as vendas de veículos que produzem emissões após medidas anunciadas pela Índia, Reino Unido,  França e  outros governos.

7 milhões de veículos VW produzidos em Taubaté

   A Volkswagen do Brasil já produziu mais de 23 milhões de veículos em sua história, dos quais 7 milhões foram produzidos em Taubaté. Isso demonstra a extrema importância desta unidade na estratégia da Nova VW, que atualmente produz com exclusividade modelos como o Voyage, o up! e o Gol, nosso campeão de vendas, o qual é atualmente o 4º modelo mais vendido do mercado nacional”, destacou o Presidente e CEO da Volkswagen América Latina, Pablo Di Si.

   Em novembro o Gol foi o 2º carro mais vendido no País, com 8.834 unidades. No acumulado do ano, o modelo já ultrapassou a marca dos 70 mil emplacamentos. Com grande vocação para vendas, o Gol é o mais produzido da história da indústria automobilística nacional, com mais de 8 milhões de unidades fabricadas, é o mais vendido (6,6 milhões de unidades) e o mais exportado (1,4 milhão de unidades para 66 países) da história do Brasil.

   Dos 7 milhões de veículos produzidos em Taubaté nos últimos 40 anos, cerca de 5 milhões foram Gol; o segundo modelo mais produzido na unidade foi o Voyage, com mais de 1,5 milhão; na sequência estão a Parati, o up! e a Saveiro.

    Vale lembrar que o Voyage com câmbio automático, assim como o Gol, chegou ao mercado em julho como parte da linha 2019 e integram a lista de 20 lançamentos previstos até 2020 dentro do conceito da Nova Volkswagen e da maior ofensiva de produtos da história da empresa no Brasil, resultado de investimentos de R$ 7 bilhões no País até 2020.

   Terceiro modelo Volkswagen mais exportado no País, com mais de 9 mil unidades embarcadas para 8 países em 2018, o Voyage já foi comercializado em 61 países. Além do motor 1.6l da família EA211, com até 120 cv (o mesmo utilizado no Polo MSI e no Virtus MSI), o Voyage com câmbio automático de seis marchas conta com conversor de torque, que garante conforto e praticidade no trânsito sem abrir mão da robustez e da eficiência na troca de marchas. 

Jaguar I-Pace conquista Cinco Estrelas nos testes de segurança

   O 100% elétrico Jaguar I-PACE alcançou uma classificação de 5 estrelas nos testes de segurança da Euro NCAP, confirmando-o como um dos veículos mais seguros na estrada. O primeiro SUV elétrico de rendimento da Jaguar marcou 91% para proteção de ocupante adulto, 81% para proteção de ocupante infantil e 81% para assistência de segurança. Para os testes de impacto da barreira lateral e impacto da coluna lateral mais severa, o I-PACE obteve pontuação máxima, com boa proteção de todas as áreas críticas da carroceria.

   Este último resultado significa que todos os três membros da família PACE de SUVs da Jaguar, E-PACE, F-PACE e I-PACE têm a classificação máxima de cinco estrelas da Euro NCAP, demonstrando o compromisso da marca em projetar alguns dos carros familiares mais seguros. O I-PACE é o décimo modelo consecutivo da maior fabricante de veículos da Grã-Bretanha a receber as cinco estrelas.

   Simon Black, líder sênior de Projetos de Engenharia de Carroceria da Jaguar Land Rover, comenta: “O Jaguar I-PACE já recebeu prêmios por seu design, desempenho e manuseio. Esse último prêmio da Euro NCAP confirma os excepcionais padrões de segurança do I-PACE. O SUV foi habilmente projetado com uma estrutura de carroceria de alumínio e bateria integrada para oferecer excelente proteção contra colisões para os ocupantes. A segurança é nossa prioridade e é fantástico ver os resultados da Euro NCAP refletirem isso”.

   A estrutura de carroceria leve de alumínio do I-PACE oferece níveis inerentemente altos de rigidez e, quando combinada com a bateria integrada – protegida por um quadro estrutural de alumínio – oferece a mais alta rigidez torcional de qualquer Jaguar, a 36kNm por grau.

   Os destaques do design da carroceria incluem o primeiro uso industrial de peças de alumínio forjado e as primeiras aplicações da Jaguar de tratamento térmico pós-moldagem para aumentar a resistência das ligas de alumínio usadas em áreas críticas relacionadas a acidentes.

Duas brasileiras completaram viagem inédita de Harley-Davidson

   Ana Pimenta e Ana Sofia respiram Harley-Davidson e fizeram um rolezinho básico de 28.000km pilotando de Porto Alegre até Milwaukee, nos Estados Unidos, rodando por 115 dias e passando por 115 concessionárias da H-D durante todo o roteiro. As principais metas cumpridas foram participar do 115º aniversário da marca de motocicletas mais amada do mundo e promover a conscientização sobre a prevenção do câncer de mama por meio do exemplo de Ana Sofia, uma das sócias do projeto que conta com a parceria de Ana Pimenta.

   Entre 19 de maio de 2018 (largada em Porto Alegre) e a chegada em Milwaukee no final de agosto, até o retorno ao Brasil, em outubro, as Anas colecionaram histórias únicas e, certamente, inspiradoras que podem refletir em motivação para diversas áreas da vida, sobretudo, para quem quer encarar novos e grandes desafios, fazer planejamentos que envolvam vida pessoal e profissional, conciliar carreira, empreendedorismo, hobbies e família e, claro, o motociclismo para mulheres, além de dicas para viajar de moto.

   Assim que retornaram ao país, Ana Sofia e Ana Pimenta participaram de eventos em prol da prevenção ao câncer de mama e da qualidade de vida de mulheres em tratamento. Em 2018 Ana Sofia comemora 10 anos do final de seu tratamento para cura de um câncer e também o seu retorno às viagens que se deu nesse mesmo ano. Ela viajou praticamente assim que terminou seu tratamento em clínica.

   Ana Sofia e Ana Pimenta trabalham ativamente no moto turismo. Pilotando suas Harley-Davidson já estiveram juntas em Cuba, Atacama, Argentina e tradicionais rotas e destinos como Route 66, Tail of the Dragon e Milwaukee.  Viajaram muito pelo Brasil em roteiros pessoais e acompanhando os encontros e eventos da Harley Davidson pelo país. Ambas são associadas ao Harley Owners Group (H.O.G.). Antes do The Ride 115, Ana Pimenta já estimava 200 mil km rodados em viagens de moto e Ana Sofia, cerca de 100 mil km.

Apta Caminhões e Ônibus VW aborda segurança e saúde com SIPAT nas concessionárias

   Com o tema ‘Na corrente da segurança, o elo mais importante é você’, a Apta Caminhões e Ônibus, desenvolveu a SIPAT 2018 (Semana Interna de Prevenção a Acidentes de Trabalho) nas unidades das concessionárias em São Bernardo do Campo e litoral. A 9ª edição destaca aspectos e informações relacionados à segurança, prevenção e até a cuidados pessoais com a saúde.

   Na concessionária de São Bernardo, a programação ocorreu nos dias de 10 a 14 de dezembro, durante o horário de expediente. Os colaboradores desfrutaram de café da manhã e almoço especial e participaram de uma agenda específica com vários temas desde práticas às teóricas como sessão de massoterapia, ginástica laboral e palestras sobre os perigos de usar o celular no trânsito e da importância de proteção com a pele.

   “Com o lema agir, prevenir e cuidar, seguimos com a proposta de manter os colaboradores atualizados com as questões de segurança e também com cuidados pessoais. A ação, além de informar, promove mais integração”, disse Luis Eduardo Ferri, gerente de Marketing da concessionária.

   Na Apta Litoral, a programação foi desenvolvida nos dias 3 e 4 de dezembro e levou aos colaboradores os mesmos enfoques relacionados à segurança, saúde e bem-estar.

   A Apta Caminhões e Ônibus é uma das mais modernas concessionárias de caminhões e ônibus da rede MAN Latin America/ Volkswagen. Possui unidades estrategicamente bem localizadas às margens da Rodovia dos Imigrantes, uma no planalto no Km 26 na junção com o Rodoanel e outra na Baixada Santista no KM 64. As concessionárias atuam com uma linha completa e sua estrutura se divide entre vendas de caminhões e ônibus, novos e usados, além de peças e assistência técnica. A Apta atende 39 municípios da Grande São Paulo e 11 do litoral paulista.

Dicas do Detran para uso correto da carretinha ou trailer

   Chegaram as tão sonhadas férias. É tempo de viajar, curtir a praia, a montanha, as prainhas de rio do interior e também de visitar familiares. Em razão disso, o Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran.SP) alerta para o uso correto da carretinha ou trailer.

   A primeira regra é registrar o reboque, como qualquer outro veículo, deve ter o Certificado de Registro de Veículo (CRV), que permite o emplacamento, e o Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo (CRLV), que é o licenciamento anual e documento de porte obrigatório.

   Após a emissão da nota fiscal da compra da carretinha, o proprietário tem até 30 dias para fazer o registro. Ele deve ir até a unidade do Detran.SP ou então agendar o atendimento, depois pagar os débitos (IPVA, seguro obrigatório, emplacamento), preencher a documentação e finalizar o processo.

   A lista de documentos necessários e os valores das taxas e também das placas estão disponíveis no site do Detran.SP (www.detran.sp.gov.br). Parentes do proprietário podem fazer o serviço, desde que apresentem documentação que comprove o parentesco.

   “Fazer o uso correto da carretinha (reboque) confere mais segurança ao trânsito. É imprescindível seguir as regras para se ter uma viagem tranquila e segura, e curtir as férias e os passeios”, disse Maxwell Vieira, diretor-presidente do Detran.SP.

USO

   O reboque deve estar com as lanternas traseiras em pleno funcionamento, inclusive as luzes de freio. A placa também deve estar em local visível e iluminada, sem estar quebrada ou com defeitos que possam impedir a sua plena visualização.

   Um ponto importante é que a carretinha também deve ter faixas refletivas, iguais às usadas em caminhões-carreta ou baú. Elas devem ser afixadas nas laterais e na traseira do veículo, ao longo da borda inferior, alternado as cores vermelha e branca, de forma uniforme e cobrindo, no mínimo, 33,33% da extensão das bordas laterais e 80% das bordas traseiras.

   No para-choque também é obrigatória a faixa. Ela deve ser colocada nas extremidades, excetuando-se os para-choques já dotados de faixas oblíquas.

   Na rodovia ou na cidade, o motorista com carretinha deve respeitar os limites de velocidade. A lei diz que um veículo leve (carro, por exemplo), tracionando outro veículo, equipara-se a veículo pesado. Portanto, deve respeitar os limites de velocidade para veículo pesado, como caminhão.

   O motorista habilitado na categoria “B” (carro) pode usar a carretinha. Porém, o peso bruto total do carro e do reboque, juntos, não pode exceder 3.500 quilos. Acima disso até o limite de 6.000 quilos é exigida a categoria “C” (pick-up, caminhonetes e vans).

   Já a carga carregada pelo reboque não pode exceder o limite de peso previsto pelo fabricante. É importante que a carretinha esteja homologada junto ao Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), que é o órgão que avalia os veículos antes de serem comercializados.

   Ainda com relação à carga, o reboque pode ser carregado até 4,40 metros de altura, partindo do solo. A carga não pode exceder o limite na parte traseira, nem nas laterais. Vale lembrar que a carga deve ser corretamente acondicionada, amarrada com cinta poliéster ou corrente. Cordas são proibidas, exceto para fixar a lona de cobertura.

 

DETRAN.SP:

   O Detran.SP é uma autarquia do Governo do Estado de São Paulo, vinculada à Secretaria de Planejamento e Gestão. Para obter mais informações sobre o papel do Detran.SP, clique neste link: http://bit.ly/2ptdw0r

INFORMAÇÕES AO CIDADÃO:

Portalwww.detran.sp.gov.br

Disque Detran.SP – Capital e municípios com DDD 11: 3322–3333. Demais localidades: 0300–101–3333. Atendimento: de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h, e aos sábados, das 7h às 13h.

Primeiro caminhão elétrico nacional deve chegar ao mercado em 2022

   A Volkswagen prepara o lançamento do primeiro caminhão elétrico nacional. O veículo voltado para entregas em centros urbanos, chega no final de 2022.

   A confirmação foi feita por José Ricardo Alouche, vice-presidente de vendas da Volkswagen Caminhões e Ônibus. O modelo será montado em Resende/RJ.

   Alouche calcula que o preço deverá ser o dobro do cobrado por uma versão a diesel do Delivery, que custa a partir de R$ 142.860,00.

   O primeiro cliente é a Ambev, que já fez uma pré-reserva de 1.600 unidades. O modelo elétrico terá motor feito pela empresa WEG e potência equivalente a 109 cv. Grande parte de seus componentes serão produzidos no Brasil.

   A autonomia chegará a 200 quilômetros. A recarga completa a partir do zero levará cerca de três horas. Há também estudos para o lançamento de caminhões movidos a gás natural veicular e de um sistema que permite utilizar álcool ou diesel em um mesmo modelo. Ainda não há data para essas tecnologias chegarem ao mercado.